Competição

SAE Brasil

A SAE BRASIL é uma associação sem fins lucrativos que congrega pessoas físicas (engenheiros, técnicos e executivos) unidas pela missão comum de disseminar técnicas e conhecimentos relativos à tecnologia da mobilidade em suas variadas formas: terrestre, marítima e aeroespacial. Foi fundada em 1991 por executivos dos segmentos automotivo e aeroespacial, conscientes da necessidade de se abrirem as fronteiras do conhecimento para os profissionais brasileiros da mobilidade, em face da integração do País ao processo de globalização da economia, ora em seu início, naquele período. Desde então, a SAE BRASIL tem experimentado extraordinário crescimento, totalizando mais de 5 mil associados e 10 seções regionais distribuídas desde o Nordeste até o extremo Sul do Brasil, constituindo-se hoje na mais importante sociedade de engenharia do Brasil.


SAE AeroDesign

A competição SAE AeroDesign ocorre nos Estados Unidos desde 1986, tendo sido concebida e realizada pela SAE International, sociedade que deu origem à SAE BRASIL em 1991 e da qual esta última é afiliada. A partir de 1999 esta competição passou a constar também do calendário de eventos estudantis da SAE BRASIL.

A Competição SAE AeroDesign é um desafio lançado aos estudantes de Engenharia para propiciar a difusão e o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de Engenharia Aeronáutica. Ao participar do projeto, o aluno se envolve com um caso real de desenvolvimento de projeto aeronáutico: concepção, projeto detalhado, construção e testes de um avião rádio controlado para o transporte de carga.
Equipes são formadas para representar a Instituição de Ensino Superior ao qual estão ligadas e, anualmente, são desafiadas por novos regulamentos baseados em desafios reais enfrentados pela indústria aeronáutica como redução de peso através de otimização estrutural, instrumentação e ensaios em voo dos protótipos, entre outros.


Curiosidades

  • Assim que as equipes chegam, devem deixar seus rádios com os organizadores, pois dois equipamentos operando em frequência próxima podem derrubar uma aeronave.
  • A competição se dá no final de outubro para aproveitar o horário de verão.
  • Os voos são interrompidos cada vez que um avião decola, já que as equipes competem na taxiway do aeroporto da Embraer.
  • Os aviões devem ser impermeáveis, pois precisam voar mesmo embaixo de chuva.
  • Os aviões, mesmo em caso de queda que resulte em perda total, têm de passar pela tenda de inspeção para a remoção do combustível do tanque.

Vídeo de making-off da última competição


MINERVA AERODESIGN NA COMPETIÇÃO

A competição SAE Brasil Aerodesign, para nós da Equipe Minerva Aerodesign UFRJ, começa já ao final da competição anterior, quando analisamos os pontos fracos do nosso projeto anterior, examinamos as experiências trocadas com as outras equipes e definimos as estratégias para o próximo ano.

Além disso, nesse período também pensamos na logística e viabilidade do projeto, sendo o momento que procuramos fornecedores de materiais e prestadores de serviço, realizamos ensaios de engenharia em laboratórios da UFRJ e consolidamos o projeto para a fase seguinte: a construção.

Durante a construção tiramos o projeto do papel e usamos técnicas de fabricação para que o avião se materialize. Portanto, é preciso que os membros tenham conhecimento de manuseio de equipamentos como o torno mecânico, furadeira, impressora 3D e outras ferramentas em geral. Todo esse processo é demorado e precisa ser feito com afinco para que o avião esteja em conformidade com o projeto, o que exige ainda mais dedicação dos participantes. Com o avião pronto, realizamos voos teste para validar a consistência do nosso modelo teórico.

A competição acontece em São José dos Campos/SP. O primeiro dia é sediado nas dependências do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), quando as equipes expõem seus aviões e apresentam o projeto conceitual para a banca avaliadora, composta por engenheiros da Embraer, professores do ITA e outros profissionais da área aeroespacial, alguns deles ex-aerodesigners.

No segundo dia começam os voos classificatórios. Essa fase ocorre em uma das taxiways do aeroporto da Embraer. Todas as equipes dispõem de três baterias, em que devem voar portando uma carga paga mínima de 4kg, não devendo exceder os 7kg, sendo eliminadas as equipes que não obtiverem êxito em pelo menos uma dessas baterias.

No terceiro e quarto dias, as equipes classificadas seguem na competição tendo mais baterias para voarem no limite do projeto. Essas baterias valem uma pontuação que será vinculada à pontuação final, definindo o ranking da competição.

A competição é, portanto, uma excelente oportunidade para os alunos aprenderem sobre a área da aviação. Ademais, permite-nos ter contato com profissionais da área, e universitários de todo o Brasil que compartilham da mesma paixão.